Pantogar Bula Decifrada

Se você chegou neste post, assumo que queira maiores informações sobre eficácia, segurança e composição do Pantogar. Neste post, pretendo ir um pouco além, e lhe passar informações além da bula. Vamos lá…

pantogar bula decifrada

Pantogar Bula: Indicações

Perda difusa de cabelos (perda de cabelo por razões desconhecidas). Alterações degenerativas na estrutura de cabelo (cabelo enfraquecido, fino, não maleável, quebradiço, sem vida, opaco e sem cor), cabelos danificados pela luz do sol e radiação UV, prevenção do aparecimento de fios brancos. Desordens no crescimento das unhas (unhas quebradiças, rachadas e pouco maleáveis)”.

— O que isso significa?

Significa que os testes que provaram a eficácia do Pantogar para obtenção do registro de comercialização (aprovação para venda) mostraram que o produto age sobre os seguintes problemas capilares:

  1. Perda difusa (perda de cabelo por razões desconhecidas)
  2. Alterações degenerativas na estrutura de cabelo
  3. Cabelos danificados pela luz do sol e radiação UV
  4. Aparecimento de fios brancos

— Na prática, como ficamos, o Pantogar funciona ou não?

Pode não parecer à primeira vista, mas o que o parágrafo de cima está querendo dizer é que o Pantogar (assim como os demais suplementos nutricionais orientados para o cabelo) serve para fortalecer o cabelo. Para auxiliar no crescimento saudável dos fios. E, como consequência, em testes clínicos, foi verificado que há uma melhora na perda difusa de fios.

Em outras palavras, a bula nos diz que o Pantogar não age nas razões da queda. Ou seja, ele não é um medicamento antiqueda diretamente, que interrompa o processo de miniaturização dos fios da alopecia androgenética (como a Finasterida ou o Avicis), ou interfira no ciclo capilar (como o Minoxidil ou a Latanoprosta).

Inclusive na secção “Advertências”, a bula menciona: “Pantogar® não é indicado para alopecia cicatricial ou androgenética/convencional (calvície masculina). Entretanto, nestes casos, Pantogar® pode fortalecer os cabelos remanescentes”.

Além disso, em nenhum momento a bula menciona que o Pantogar faça o cabelo crescer mais rápido. Ou seja, ele não é capaz de acelerar o ritmo de crescimento dos fios.

— Então, o Pantogar é uma farsa?

De maneira nenhuma! Existem trabalhos científicos sérios demonstrando a ação do Pantogar. Separei dois para você analisar.

No primeiro, 30 mulheres sofrendo de eflúvio telógeno tomaram Pantogar por 6 meses e tiveram resultados positivos no crescimento capilar.

No segundo, 60 pacientes com eflúvio telógeno difuso e lesões estruturais nos fios receberam Pantogar, um comparador e placebo por 4 meses e o Pantogar mostrou eficácia na melhoria da qualidade dos fios e no crescimento.

Em resumo, o Pantogar auxilia sim na terapia antiqueda. Entretanto, ele não é capaz de agir na causa de alguns tipos de queda e, portanto, pode não ser suficiente como terapia única.

— Como o Pantogar funciona?

Para entender a ação do Pantogar, vamos dar uma olhada, primeiro, em sua composição e características farmacológicas.

Pantogar Bula: Composição

Cada cápsula contém:

Pantotenato de cálcio (Vitamina B5)………………………….. 60 mg
Cistina ……………………………………………………………………. 20 mg
Nitrato de tiamina (Vitamina B1) ………………………………. 60 mg
Levedura medicinal ………………………………………………… 100 mg
Queratina ……………………………………………………………….. 20 mg
Ácido Aminobenzóico (PABA) …………………………………… 20 mg

Pantogar Bula: Características Farmacológicas

(…) Pantogar fornece as substâncias fortificantes pantotenato de cálcio e cistina (aminoácido) aos cabelos e às unhas. Também contém a proteína queratina que é o mais importante componente do cabelo (…)”.

Segundo a bula, portanto, os 3 principais componentes da fórmula seriam a vitamina B5, a cistina e a queratina.

Vejamos a ação de cada componente, em detalhes:

Pantotenato de cálcio (Vitamina B5):
A vitamina B5 promove o desenvolvimento, função e reprodução (divisão celular) dos tecidos endoteliais (vasos sanguíneos) e epiteliais (pele). Sua relação com o metabolismo da pele começou a ser estudada em animais, na década de 40.

O uso desta vitamina no tratamento de feridas superficiais, inflamações e desordens funcionais da pele é bastante comum e, muito provavelmente, você já fez uso ou ouviu falar das pomadas de dexpantenol (forma ativa do ácido pantotênico), como a Bepantol.

Considerando que o couro cabeludo também é pele, é de se imaginar que a vitamina B5 tenha alguma relação, também, com a queda de cabelo. Há, inclusive, estudos mostrando relação entre a deficiência de B5 e a perda e o embranquecimento de pelos em animais.

Entretanto, além de não haver estudos comprovando a ação da vitamina B5 na interrupção da queda, existe, ao contrário, um estudo onde a administração de vitamina B5 em mulheres com alopecia difusa não apresentou resultados no crescimento capilar.

Nitrato de tiamina (Vitamina B1) e Ácido Aminobenzóico (PABA):
Diferentemente da Vitamina B5, onde conseguimos encontrar um estudo mostrando sua falta de eficácia, tanto a vitamina B1 como o PABA não possuem dados clínicos, seja de eficiência ou falta de eficiência, na queda de cabelo.Ou seja, não há dados que provem sua ação antiqueda.

Segundo o website do Pantogar, “a tiamina aumenta a atividade metabólica da raiz do cabelo” e “o ácido para-aminobenzóico tem efeito positivo sobre a pigmentação do cabelo, evitando o surgimento prematuro de fios brancos”. Entretanto, como dissemos, não conseguimos encontrar trabalhos que comprovem estas afirmações.

Queratina e Cistina:
Aproximadamente 91% do fio de cabelo é formado por proteínas, mais especificamente, uma proteína chamada queratina. Como qualquer proteína, a queratina é formada por aminoácidos. Dentre eles, o principal é a cistina.

Faz sentido pensar que fornecer queratina e cistina ao cabelo favorecem o crescimento saudável dos fios, assim como regar uma planta ou colocar combustível em um carro. Entretanto, como veremos a seguir, a concentração destes compostos no Pantogar é baixa, sendo facilmente obtida via alimentação.

Levedura medicinal:

É o que conhecemos por Levedo de Cerveja. Trata-se de uma levedura inativa seca, obtida por meio da fermentação do malte. É fonte de proteínas, ferro, vitaminas do complexo B (B1, B2 e B3), fósforo e fibras.

Aqui, novamente, não há estudos da ação direta (ou sozinha) do levedo de cerveja no crescimento capilar.

— Mas, então, como o Pantogar pode ser eficaz se nenhum dos compostos tem comprovação de eficácia?

Em primeiro lugar, o fato de não haver estudos comprovando a ação de cada composto, individualmente, não significa que eles não funcionem. Pode ser que eles tenham ação, mas não tenham sido feito testes ou, que, apesar de individualmente não terem ação, em conjunto, sejam benéficos.

Segundo o livro Hair Growth and Disorders, de Ulrike Blume-Peytavi, David A. Whiting e Ralph M. Trüeb, na década de 1990, os primeiros estudos sobre suplementos nutricionais que pudessem ajudar no crescimento capilar, incluíam o que os autores chamam de complexo CYP, formado pela combinação de cistina, vitaminas do complexo B e levedo de cerveja. Estes estudos mostraram eficácia.

Para alguns especialistas, os suplementos alimentares, como é o caso do Pantogar, costumam ter ação mais pronunciada em quem possui algum tipo de deficiência vitamínica. Talvez por isso que o Pantogar funcione logo no primeiro mês para alguns pacientes, não fazendo qualquer efeito em outros pacientes.

Além disso, de acordo com alguns tricologistas, qualquer deficiência vitamínica (leia-se, falta de qualquer vitamina, não apenas as do complexo B) pode acelerar ou desencadear um processo de queda de cabelo. E, assim, no sentido inverso, muitas vitaminas poderiam ser benéficas no tratamento da queda, incluindo as vitaminas A, D e E.

— Afinal, vale a pena tomar Pantogar?

Depende. Como vimos, há, de fato, comprovações de que o Pantogar ajuda na terapia antiqueda. Olhando somente por este lado, valeria sim a pena.

Entretanto, sabemos que o Pantogar está longe de ser barato e vimos que ele, na verdade, não passa de um suplemento nutricional. Ou seja, é uma combinação de vitaminas e compostos que poderíamos suplementar de outra forma mais barata ou, melhor ainda, via alimentação.

Os nutricionistas são unânimes ao dizer que os nutrientes absorvidos via alimentação são muito melhor aproveitados pelo nosso organismo que os nutrientes que tomamos via cápsulas.

Assim sendo, montei para você a tabela abaixo, onde mostro fontes alternativas para obter os compostos que formam o Pantogar. Veja que, com exceção das vitaminas B1 e B5, os demais compostos são facilmente obtidos via alimentação normal.

PANTOGAR VS ALIMENTOS (2)

Deste modo, uma boa estratégia poderia ser, por exemplo, substituir o Pantogar por uma colher de chá diária de levedo de cerveja em pó + complexo B e, claro, reforçar a ingestão proteica na dieta (esta última, aliás, é uma recomendação usual dos tricologistas para quem está tratando a queda de cabelo).

O que eu mais gosto nesta opção é o fato de que, além de ingerir as vitaminas B5 e B1, você tomaria, também, a B6, uma das poucas que possui demonstração de eficácia no tratamento antiqueda (ver trabalho científico aqui).

Outras opções seriam:

  1. Mandar fazer o Pantogar Manipulado em uma farmácia de manipulação, vide a composição que listamos acima.
  2. Apostar em um outro suplemento nutricional direcionado aos cabelos, como o Pill Food, Imecap Hair, Innéov Densilogy, Oral Hair ou Eximia Fortalize (contanto, claro, que fosse mais barato que o Pantogar).

No próximo post, comentaremos uma pergunta específica que muitos têm em relação ao Pantogar: se ele, de fato, engorda.

Por hora, comenta aqui embaixo a sua experiência com o Pantogar. Já tomou? Valeu a pena?

2 Comentários

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.