Qual o melhor shampoo infantil?

Não há consumidor mais atento à toxicidade de um cosmético que os pais de um bebê. Estamos sempre preocupados com o que pode fazer mal, causar uma irritação ou mesmo alergia à delicada pele dos nossos bebês.

Como o shampoo infantil é um dos primeiros cosméticos que usamos em nossos pequenos, a segurança destes produtos nos interessa, e muito. Por esse motivo, decidi te ajudar a responder a pergunta “qual o melhor shampoo infantil”.

Para facilitar as coisas para você, ao invés de uma análise detalhada de cada produto (como fazemos de praxe aqui no blog), decidi fazer uma análise comparativa. Veja abaixo.

Tabela comparativa de shampoos infantis:

shampoo-infantil

Se você é do tipo objetivo, a resposta rápida para a pergunta inicial é: baseado nos critérios da Tudo sobre Cosméticos, o shampoo infantil da Johnson & Jonhson é o que apresenta melhor relação custo-benefício.

Agora, se você é um pouco mais curioso, gosta de saber o porquê das coisas ou mesmo, se você não concorda com esta avaliação, vamos aos detalhes…

O que determina a toxicidade de um shampoo infantil?

Há dois aspectos básico que devemos levar em consideração na hora de avaliar o quanto um shampoo infantil é tóxico: a suavidade dos agentes de limpeza e a presença de compostos com potencial de alergia ou irritação.

1. Suavidade dos Agentes de Limpeza:

Conforme vimos no post sobre shampoos sem sulfato,  há diversos tipos de detergentes (agentes de limpeza) disponíveis no mercado, alguns mais fortes/agressivos e, outros, mais fracos/suaves.

Vimos, também, no post sobre composição básica de um shampoo, que o shampoo infantil deve ser produzido com detergentes suaves, de modo a causar a menor irritação possível, especialmente aos olhos (daí o termo “chega de lágrimas)

Dos 7 shampoos que avaliamos, 3 possuem em sua composição agentes de limpeza considerados “moderados”. São eles: Huggies Turma da Mônica Extra Suave (Sodium Trideceth Sulfate), Granado (Sodium Trideceth Sulfate) e o Shampoo Mustela Bebê (Sodium Myreth Sulfate). Por isso a pontuação destes shampoos foi prejudicada.

Os 4 outros shampoos apresentam apenas agentes de limpeza suaves em sua formulação. Entretanto, destes, o da Weleda é o que apresenta melhor combinação de detergentes, com alta concentração de detergentes considerados “premium” (ver post sobre detergentes para saber mais). Por essa razão sua pontuação, neste quesito, foi mais elevada.

2. Potencial de causar alergia ou irritação:

Existem 4 grupos de compostos capazes de causar irritações ou alergias no uso de um cosmético: conservantes, perfumes, agentes reconhecidamente alergênicos ou irritantes e corantes.

Conforme vimos nos posts sobre parabenos e cosméticos sem conservantes, é bastante difícil a produção de um cosmético sem uso de nenhum tipo de conservante, uma vez que isso eleva o risco de contaminação do produto e, consequentemente, pode ser danoso à quem o utiliza.

Há, entretanto, diferença na toxicidade entre diferentes conservantes. No post sobre parabenos, vimos que, segundo estudos, os conservantes mais tóxicos são: Phenoxyethanol, Quaternium-15, DMDM Hydantoin e MCI/MI.

As agências certificadoras de produtos orgânicos (como a Ecocert, por exemplo) permitem que apenas alguns tipos de conservantes sejam adicionados aos produtos que irão certificar, são eles: Benzoic acid (seus sais – ex. Sodium Benzoate, Potassium Benzoate – e ésteres), Benzylic alcohol, Formic acid (e seus sais), Propionic acid (e seus sais), Salicylic acid (e seus sais) e Sorbic acid (e seus sais). Estes conservantes, na interpretação das agências, seriam menos nocivos, tanto à saúde, como ao meio ambiente.

Fragrâncias e compostos utilizados na composição de perfumes são reconhecidamente alergênicos e, de acordo com a RDC 16/2011 da ANVISA, estes compostos devem ser citados nos rótulos para que as pessoas que sofram de alergia a um destes ingredientes possa evitá-los.

Da mesma forma, na RDC 44/2012, a ANVISA determina que os corantes sejam listados nas embalagens de produtos cosméticos.

Com relação aos agentes alergênicos e/ou irritantes, além dos próprios agentes de limpeza pouco suaves, entram na lista compostos como álcool e coco-betaine.

Observando com cautela a tabela comparativa, você vai perceber que nenhum dos shampoos infantis avaliados é 100% livre de risco de toxicidade. Mas há algumas vantagens e desvantagens em cada tipo de formulação. Analisemos shampoo por shampoo:

  • Shampoo J&J: Ganhou pontos por usar um conservante mais ameno, aceito por certificadoras de produtos orgânicos. Entretanto, perdeu pontos por usar corantes.
  • Shampoo Baby Dove Hidratação Enriquecida: Perdeu pontos por usar o phenoxyethanol, mas isso foi parcialmente atenuado pelo fato de usarem o Caprylyl Glycol (o que deve ter permitido a redução da concentração de phenoxyethanol utilizado – saiba mais no post sobre cosméticos sem conservantes). Entretanto, voltou a perder pontos pelo uso do Dimethiconol. O Dimethiconol é um silicone insolúvel e não é irritante. Entretanto, pelo fato do shampoo infantil possuir detergentes suaves, existe um risco de acúmulo deste silicone ao longo do uso do shampoo (ver mais no post sobre silicone para cabelo). Por isso, nós o consideramos pouco adequado para uma formulação infantil.
  • Shampoo Huggies Turma da Mônica Extra Suave e Granado: Perderam pontos pelo uso de conservantes tóxicos e alérgenos conhecidos.
  • Shampoo Weleda Calêndula: Confesso que esta foi a avaliação mais difícil de fazer. Apesar deste shampoo não utilizar conservantes sintéticos, nem corantes e usar compostos naturais para formular a fragrância, ele possui uma concentração alta de álcool, um irritante conhecido. Pelo fato da concentração de álcool ser alta e irritações causados pelo álcool serem bem mais comuns que reações aos conservantes sintéticos, decidimos tirar mais pontos deste shampoo neste quesito (o que é realmente uma pena, considerando que ele possui o melhor perfil de detergentes).
  • Shampoo Mustela Bebê: No sentido oposto ao shampoo da Weleda, este produto surpreende positivamente pelo uso de um conservante mais ameno, um corante natural, poucos alérgenos e não conter corantes. Apresenta o melhor perfil neste quesito, e só não levou o título de mais seguro porque usa um agente de limpeza moderado (mior potencial irritante).
  • Shampoo Vyvedas Baby & Kids 2 em 1: Fiquei surpresa em ver que este shampoo usa um conservante tradicional em sua formulação. Esperava que a Vyvedas (especializada em cosméticos mais naturais) utilizasse um dos conservantes aceitos pelas certificadoras de orgânicos. Apesar disso, ganhou pontos por não usar corantes.

Pesando os quesitos 1 e 2 acima, em relação à segurança, podemos dizer que os shampoos J&J, Weleda, Vyvedas e Mustela são os mais seguros (cada um com suas vantagens e desvantagens, claro).

Considerando que, dentre estes, o shampoo J&J é o de menor preço, é justo que ele seja eleito o de melhor relação custo-benefício!

Toxicidade do Shampoo Infantil da J&J:

Há algum tempo surgiram algumas discussões na internet sobre a toxicidade do shampoo infantil da J&J. Os textos diziam que o shampoo da J&J possuía, em sua composição, o Quaternium-15.

Entrei em contato com o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da J&J e perguntei sobre a composição do shampoo infantil. Na composição que me informaram (que usei para a avaliação), não havia o Quaternium-15.

Achei estranho e resolvi checar em uma loja física. Eis que o shampoo que peguei tinha o Quaternium-15.

Entrei, então, em contato novamente com o SAC para entender o porque da disparidade de informações e fui, então, informada que a J&J havia retirado o Quaternium-15 da composição, passando, então, a fabricar o produto com o Sodium Benzoate. O produto que eu havia encontrado na farmácia era, provavelmente, de um lote antigo. Boas notícias, já que este conservante é mais ameno.

Não, eu não estou fazendo propaganda!

Antes que você pense que este é um post pago, e que eu recebi uma graninha da J&J para fazer esta análise, reitero meu compromisso com a imparcialidade. Aliás, se você ainda não leu nossa página “sobre nós“, recomendo!

Para ser honesta, por mais que eu tenha feito esta avaliação, não gosto do xampu da J&J. Não gosto de como fica o cabelo, não gosto do cheiro e não gosto deles usarem corantes.

E estou dizendo isso para que você entenda que, na minha opinião, não é porque a pontuação do shampoo infantil da J&J foi a mais alta, que este é o melhor shampoo, para mim (ou para você). Para mim, o shampoo da Weleda será sempre o melhor, com álcool e tudo, e meu filho nunca teve irritações de pele com ele… Não compro sempre, porque é caro. Então costumo revezar, para não enjoar mesmo…

E você? Qual seu shampoo infantil predileto? Conta pra mim aqui embaixo…

 

 

22 Comentários

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.